Nova pesquisa da Associação Nacional das Administradoras de Benefícios ainda revela que a necessidade de convênios médicos cresceu durante a pandemia.

Uma nova pesquisa da Associação Nacional das Administradoras de Benefícios (Anab) revelou que 47% da população precisou fazer alterações no orçamento familiar em 2021 para conseguir manter o plano de saúde.

O levantamento também mostrou que 83% das pessoas têm medo de perder o plano, motivado principalmente pelas altas taxas de desemprego ao longo da pandemia.

Outro ponto levantado pela pesquisa foi sobre a necessidade de assistência médica. Para 88% dos entrevistados, a necessidade se manteve ou aumentou durante o período da pandemia, sendo que uma em cada quatro pessoas precisou buscar mais ajuda médica desde março de 2020.

Ainda segundo o estudo, entre aqueles que não possuem convênio médico particular, 83% julgam necessário ter. Entre aqueles que fazem uso exclusivo do Sistema Único de Saúde (SUS), 68% precisaram de atendimento em 2021 e relataram dificuldade no acesso.

A preocupação dos brasileiros com o custo e acesso aos planos de saúde particulares ganhou mais uma confirmação, com a recente aprovação do reajuste dos planos individuais e familiares pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

O aumento de 15,5% será o maior em 22 anos, valendo para o período de maio de 2022 até abril de 2023.

fonte: https://www.contabeis.com.br/noticias/51826/planos-de-saude-47-precisam-mexer-no-orcamento-para-manter/