Uma líder precisa se apropriar dos seus talentos e saber direcioná-los para a superação de seus medos e limitações

iStock

Quando falamos em liderança feminina, automaticamente precisamos falar sobre autoconhecimento. Nós acreditamos fortemente que para fazer a diferença no desenvolvimento de mulheres esse é um tema muito importante a ser tratado. O autoconhecimento é a chave para a autoconfiança, sendo hoje uma das habilidades mais valorizadas por líderes da Fortune 500.

Uma líder precisa se apropriar dos seus talentos e saber direcioná-los para a superação de seus medos e limitações, garantindo as ações certas e consistentes para alcançar o seu futuro desejado.

Em 2017, segundo uma pesquisa realizada pela Grant Thornton, apenas 25% dos cargos executivos foram ocupados por mulheres em empresas no mundo inteiro. No Brasil, mais da metade das empresas não possuem nenhuma mulher, sequer, em cargos de liderança e esse número vem se agravando a cada ano.

Para ocorrer uma mudança, acreditamos em três forças que estão representadas nesse gráfico abaixo:

A Força Externa está atrelada às iniciativas em políticas públicas e de instituições, que visam alertar e sensibilizar a sociedade e empresas para se conscientizarem e agirem em direção da equidade e dos seus benefícios sociais e econômicos, como a ONU Mulheres, o Pacto Global da ONU, o Fórum Econômico Mundial, o Instituto Ethos e tantas outras organizações que reúnem indicadores e ações importantes que merecem atenção, como a aprovação de cotas para mulheres em Conselhos de Administração nas empresas.

A Força Estratégica da Cultura da Empresa está relacionada à alta liderança das empresas estarem cientes de suas responsabilidades enquanto protagonistas no desenvolvimento econômico e social do país, bem como ter ações que busquem a equidade de gênero em suas lideranças como os Princípios de Empoderamento da Mulher (WEP’s), promovido pela ONU Mulheres para que mulheres e homens possam ter os mesmos benefícios e condições de trabalho, possuindo voz igual nas decisões.

E, por último, está a força interna que está atrelada ao protagonismo de cada mulher em ter clareza de suas potencialidades e usá-las de forma estratégica para ascender na carreira, nos negócios e na sociedade.

Ou seja, mulheres, você é uma das forças, então imagino que esteja se perguntando como você pode fazer parte dessa mudança, certo? A resposta é: desenvolva seu poder pessoal tendo clareza das suas potencialidades, do seu senso de merecimento, aprendendo a influenciar o ambiente de forma estratégica. O próximo passo é você replicar para a sua equipe ou meio o aprendizado. Você é o maior exemplo das mudanças que pretende ver no seu meio e ela não tem a ver com cargo, mas com protagonismo e visão de onde se quer chegar.

Ter consciência de seus valores, honrar e respeitar a sua história, é um passo crucial para ser uma líder de sucesso. 

Amanda Gomes e Carine Roos — Cofundadoras da ELAS

fonte:
http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/por-que-autoconhecimento-e-importante-para-liderar/127920/