Negócios são feitos por pessoas, para pessoas. E o objetivo é a solução de problemas. Mas como resolvê-los sem estar antenado nas necessidades? Usando a empatia.

Empatia é um termo que está na moda mas que muitos não sabem o que de fato significa. Empatia não é a mesma coisa que simpatia. Simpatia é afinidade. É quando você sente atração por alguém, que talvez tenha acabado de conhecer e que de maneira inexplicável, lhe fez abrir um sorriso, puxar uma conversa.

Mas empatia é algo muito mais profundo: é se colocar no lugar do outro; é ter passado pelo mesmo problema, sentir a dor e a angústia do outro – ou a alegria do próximo, não precisa sentir apenas o que é ruim. E as pessoas que estão conectadas, percebem o mundo a sua volta de maneira muito mais sensível.

E o que isso tem a ver com negócios? Tudo a ver. Quando você pensa em uma estratégia de Marketing, como você vai atingir, se comunicar com seu público alvo se você não sabe e não sente suas dores? Você vai oferecer a essas pessoas algo que não as toca, não as move, não as sensibiliza? Então, porque elas lhe dariam atenção? Porque comprariam o seu produto? O que você propõe não lhes serve.

E para identificar as necessidades e dores desse público, existe uma ferramenta chamada “mapa de empatia”. É uma metodologia que literalmente mapeia as necessidades do público alvo, através da análise de uma persona. Como não há como analisar milhares de pessoas, uma a uma, a persona ajuda a congregar em um personagem as necessidades, hábitos, dores e gostos desse público.

Por exemplo: quem consome Coca Cola, está buscando o quê? Matar a sede? Nada mata mais a sede do que um bom copo de água, não é mesmo? Mas a Coca Cola “vende” estilo de vida, diversão, momento em família, com amigos, aquela indulgência depois de um dia corrido de trabalho –  em todos os casos você está se presenteando, agradando a quem está a sua volta. E como a Coca Cola sabe como se comunicar com o público? Certamente, sendo uma grande empresa, fez inúmeras e caras pesquisas de mercado, mas ao final dessas avaliações, compilou os resultados em um perfil – quem consome Coca Cola e o que deseja.

Usar a empatia no dia a dia nos ajuda a entender o mundo e consequentemente nos ajuda a entender o que o consumidor está buscando e nos facilita resolver os seus problemas de forma assertiva, fidelizando-o.

fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/empatia-nos-negocios-para-que-serve/102326/