Focando no que podemos controlar, é possível encontrar uma enorme satisfação no trabalho, a despeito das dificuldades

Estamos trabalhando pouco demais, esse trabalho é muito fácil ou simplesmente não faz sentido? Em um recente artigo publicado no The New York Times, o consultor em produtividade Chris Bailey postula que, em uma era de distração constante, “nosso trabalho não é nem complexo nem suficiente”.

Cada vez mais pessoas considera a vida nos negócios como um “tipo de símbolo de status”, mas Bailey sugere que nós, na verdade, nos distraímos com tarefas simplórias que apenas nos fazem sentir produtivos.

Para aumentar nosso foco, precisamos melhorar nosso engajamento. Como já compartilhei em outra oportunidade, líderes podem usar sua inteligência emocional para, efetivamente, engajar os funcionários.

No entanto, o engajamento funcional é a parte da responsabilidade que cabe ao empregador. O empregado é encarregado da outra parte. E eles podem adotar medidas para se tornarem mais motivados — por exemplo, alinhando melhor o trabalho aos seus objetivos.

Se você está frequentemente entediado e distraído no trabalho, talvez precise de projetos mais desafiadores. O desengajamento — um dos sinais mais evidentes é o tédio — é o oposto de mergulhar produtivamente no trabalho.

Para aumentar seu engajamento, uma estratégia é identificar projetos que deixem você empolgado, mas talvez pareça um pouco além do seu alcance. De qualquer maneira, mergulhe fundo. Se possível, vocẽ pode trabalhar com um supervisor ou mentor para aprender como ter melhor desempenho nas tarefas mais exigentes.

A propósito: quando assumimos desafios que se alinham com nossas habilidades e interesses, nós nos sentimos realizados e engajados no trabalho.

Você também pode achar interessante desenvolver questões alinhadas aos seus objetivos para se perguntar diariamente. Marshall Goldmith, um destacado coach executivo, encoraja seus clientes a reposicionarem seus questionamentos do modo passivo para o modo ativo. Esse ajuste coloca a iniciativa sobre o indivíduo, não sobre o ambiente.

Por exemplo, em vez de perguntar “eu tenho grandes amigos no trabalho?”, você pode reformular para “estou fazendo o meu melhor para construir relacionamentos positivos no trabalho?”. E, em vez de “eu tive oportunidades para aprender e crescer na empresa”, questione-se “eu corri atrás de projetos que se alinham com meus interesses e busquei oportunidades de crescimento?”.

Ao revisitar seus objetivos diariamente, colocando a responsabilidade pelo crescimento sobre você, é possível se investir com mais paixão no trabalho.

Dar pequenas pausas ao longo do dia também pode aumentar seu nível de resiliência, em especial se você trabalha em um emprego com alta demanda emocional. Pequenas pausas entre as tarefas, que podem ir de alguns segundos a vários minutos, comprovadamente aumentam o engajamento.

A pesquisa com essa conclusão foi realizada com trabalhadores de call centers, mas também se aplica a empregos na área de Enfermaria e Ensino, que exigem empatia e gestão de relacionamentos.

Tirar um minuto ou dois para reagrupar e clarear as ideias entre chamadas, pacientes ou aulas pode facilitar a sustentação do engajamento ao longo do dia.

Por fim, você pode aumentar seu foco no trabalho treinando sua atenção. A meditação, prática na qual você volta continuamente sua atenção a um único foco — como sua própria respiração, uma palavra ou uma frase — funciona como uma academia mental.

Com a prática continuada, vocẽ consegue aumentar sua capacidade de foco e eliminar as distrações.

Sempre haverá fatores no ambiente além do nosso controle. Talvez você tenha um chefe que favoreça alguns funcionários ou um colega que gosta de se encostar. Mas, ao focar no que nós podemos controlar — ou seja, nós mesmos — poderemos encontrar uma enorme satisfação no trabalho, a despeito das dificuldades.

fonte:
https://administradores.com.br/artigos/como-ter-foco-no-trabalho